22 de jun de 2010

Presidente muda tema da Parada LGBT de 2010

[ Megatrioelétrico puxou a Parada Gay de Jataí em 2009, que teve um público de cerca de 5 mil pessoas. ]
Em 3 de março, o presidente da Associação Jataiense de Direitos Humanos - Nova Mente (AJDH-Nova Mente), Gilbran Assis de Oliveira, em reunião com o diretor da Agência Barros Dourado Comunicações e Eventos (ABD Comunicações e Eventos), jornalista Terry Marcos Dourado, definiu o tema e o lema da IV Parada do Orgulho LGBT do Sudoeste Goiano em Jataí.

[ Cerca de 5 mil pessoas participaram da 3a. Parada Gay de Jataí, em 2009. ]
Naquela data, o evento – que estava agendado para 12 de setembro – teria como tema a frase: "Diversidade, Amor e Paz"; e como lema, a frase: "Aceitar (a diversidade), é um Gesto de Amor e de Promoção da Paz.". Mais uma vez, a intenção do presidente da AJDH-Nova Mente, Gilbran Oliveira, era chamar a atenção popular para a forte homofobia que ainda persiste na sociedade jataiense, gerando casos com violências físicas e verbais. Nos últimos 30 anos, estima-se que mais de 40 homossexuais foram brutalmente assassinados em Jataí e região por causa da homofobia.

[ Gilbran Oliveira, presidente da AJDH-Nova Mente, ao lado das top drags de Rio Verde (GO): Bellscate Madder (E), Lawren Hiorraya (C) e Kimberly Katry (D|). ]

[ A multidão de cerca de 5 mil pessoas vista do palco oficial da Parada Gay de Jataí 2009. ]

[ A top drag goiana encarnada pelo ator Leleco Diaz foi o grande destaque da 3a. Parada Gay de Jataí em 2009. ]

[ O jornalista e diretor artístico da Parada Gay de Jataí, Terry Marcos Dourado animou o público no Show da DiverCidade, criado por ele, para esquentar a concentração. ]

"É inaceitável e inadmissível que pessoas inocentes, cidadãos de bem, continuem morrendo, perdendo suas vidas simplesmente pelo fato de não terem a orientação sexual da maioria, ou seja, por não serem heterossexuais. Isso é uma realidade bestial que, diariamente, tem que ser combatida, afinal somos seres humanos com igualdade de direitos e obrigações, e merecemos respeito, tolerância e a compreensão da sociedade, uma vez que a respeitamos também", comentou Gilbran.
A exemplo das três edições anteriores do evento, a logomarca oficial e todo o material a ser usado em mídias de divulgação da IV Parada do Orgulho LGBT do Sudoeste Goiano em Jataí foi criada e produzida pelo jornalista Terry Marcos Dourado. E pela quarta vez consecutiva a ABD Comunicações e Eventos será a responsável pela assessoria de imprensa e também pela produção e realização do Show da DiverCidade 2010, show este idealizado por Dourado.

[ A galera jovem deu exemplos à sociedade homofóbica mostrando que não têm preconceitos quanto à orientação sexual das pessoas. ]
Mudanças – Semanas depois de definir o tema e o lema da Parada Gay de Jataí, o presidente da ong AJDH-Nova Mente, Gilbran Oliveira, optou por mudar todo o esquema definido em março. Gilbran definiu que o novo tema será “Compartilhe o Amor”. E o novo lema definido pelo presidente é: “Amar é um Direito de Tod@s”. Ao contrário da recomendação da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), entidade do qual a AJDH-Nova Mente é afiliada, o presidente Gilbran Oliveira optou por não aderir à tendência nacional das Paradas LGBT brasileiras que adotaram temas de conscientização política nos eventos.

[ Pela terceira vez consecutiva, várias famílias heterossexuais levaram crianças para participar da Parada Gay de Jataí, ensinando a elas a crescerem sem homofobia. ]
“Já fizemos isso em 2008. E creio que é o momento de também falarmos de amor, de mostrarmos às pessoas que o amor é um sentimento nobre, um sentimento de alma. E como a alma não tem sexo, o amor deve ser apenas sentido em sua forma natural de manifestação, sem censuras, sem preconceitos, sem bloqueios, pois amar e ser amado é um direito nato de todos e de todas, independentemente de sua orientação sexual. E isso precisa ser compreendido, respeitado e aceitado pela sociedade”, argumentou o presidente.

[ No backstage da 3a. Parada LGBT do Sudoeste Goiano em Jataí 2009, o organizador-geral do evento, o presidente da AJDH-Nova Mente, Gilbran Oliveira (C) ao lado do diretor artístico, animador e assessor de comunicação do evento, jornalista Terry Marcos Dourado (E), diretor da ABD Comunicações e Eventos, e do presidente do Grupo LGBT Oxumaré, de Goiânia, Marco Aurélio da Silveira. ]

Em razão das mudanças feitas no tema. lema e na data da Parada Gay de Jataí, o jornalista Terry Marcos Dourado criou e produziu um novo material de mídia. A campanha de divulgação da IV Parada do Orgulho LGBT do Sudoeste Goiano em Jataí, evento que está oficialmente confirmado para o domingo 22 de agosto, com concentração a partir das 14 horas, na Praça Tenente Diomar Menezes, no centro da cidade.
Veja o cartaz oficial da IV Parada do Orgulho LGBT do Sudoeste Goiano em Jataí 2010 (clique na imagem para vê-la em tamanho maior):
Por Asscom/AJDH-Nova Mente

21 de jun de 2010

Sede da AJDH-Nova Mente está de "cara nova"

A sede da organização não-governamental Associação Jataiense de Direitos Humanos - Nova Mente (AJDH-Nova Mente) está de cara nova graças à parceria firmada, desde 2001, com a Prefeitura de Jataí que, desta feita, doou os serviços e mão-de-obra necessários para a reforma das instalações físicas que, até então, encontravam-se bastante precárias, principalmente o telhado e o forro já muito danificados.
As obras de reforma da sede da AJDH-Nova Mente foram solicitadas ao prefeito Humberto de Freitas Machado (PMDB), pelo presidente da ong, Gilbran Oliveira. Bastante solícito e sensibilizado com as causas sociais da AJDH-Nova Mente, o prefeito autorizou, de imediato, o início dos serviços em março. A reforma foi totalmente concluída na primeira quinzena de maio.
“O prefeito Humberto Machado tem sido um ser humano e um político fantástico no trato direto com a nossa ong. Como é raro de acontecer, o prefeito tem dado total apoio atendendo, na medida do possível, a todos os nossos pedidos. Esse respeito e esta consideração da administração municipal para com o nosso trabalho e a nossa AJDH nos estimula a prosseguirmos, com muito mais determinação e entusiasmo em nossos trabalhos, seja no combate aos preconceitos e a homofobia, seja nas nossas ações de conscientização social sobre a importância da prevenção às Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) e Aids”, ressaltou o presidente da AJDH-Nova Mente.
O presidente da AJDH-Nova Mente fez questão de agradecer publicamente ao prefeito Humberto Machado pela manutenção da parceria. “É com muita emoção que, publicamente, temos muito que agradecer ao prefeito e sua equipe de trabalho que, direta ou indiretamente, nos ajuda a realizar os trabalhos sociais para os quais a AJDH-Nova Mente fora criada. Muito obrigado a todos”, comentou, emocionado, o presidente Gilbran Assis de Oliveira.
Nas imagens a seguir, você poderá comparar a qualidade dos serviços realizados na reforma da sede da ONG pelo pessoal da Prefeitura de Jataí. A sede da AJDH-Nova Mente localiza-se na Rua José Manoel Vilela, 412, centro, em frente ao Detran-GO. O atendimento público, inclusive com distribuição gratuita de preservativos, é realizado de segunda a sexta-feira, com agendamento de horário através do celular: 9618-3001 (Gilbran). 
ANTES DA REFORMA
DEPOIS DA REFORMA
Produzido por Asscom/AJDH-Nova Mente

24 de mai de 2010

AJDH participa da Marcha Nacional LGBT, em Brasília


[O presidente da AJDH-Nova Mente, Gilbran Oliveira (centro da foto) participou ao lado de Sallete Campari (E) da I Marcha Nacional LGBT, em 19 de maio, na Capital Federal.]
Brasília, DF - Na quarta-feira, 19 de maio, centenas de manifestantes participaram da 1ª Marcha Nacional Contra a Homofobia, em Brasília. O evento foi promovido pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT). Em um dos momentos do evento, os manifestantes pararam em frente ao Congresso Nacional e vaiaram senadores que se opuseram ao projeto de lei que torna a homofobia um crime. Os alvos foram Gerson Camata (PMDB-ES), Magno Malta (PR-ES) e Marcelo Crivella (PRB-RJ). "Não tenham medo de homossexuais. Vocês não fazem o nosso tipo", dizia ao microfone um dos manifestantes.
O projeto de lei, que tramita desde 2006, já foi aprovado na Câmara e agora precisa passar pelo crivo dos senadores. Cerca de 2.500 pessoas, segundo a Polícia Civil, ou cerca de 10 mil pessoas, de acordo com a organização, participaram da I Marcha Nacional Contra a Homofobia. Os manifestantes colocaram cruzes em frente ao Congresso para homenagear aqueles que foram mortos por causa de sua orientação sexual.
Passaram pelo ato mais de uma dezena de parlamentares. A organização do evento convocou os manifestantes a não votarem em políticos homofóbicos. Também participou a ex-BBB, jornalista Angélica Martins (Morango). Organizada pela Associação Jataiense de Direitos Humanos – Nova Mente (AJDH-Nova Mente) e pela Associação por Cidadania e Direitos Humanos LGBT de Rio Verde (ACDHRio), uma caravana do Sudoeste Goiano participou da Marcha Nacional em Brasília.
O presidente da AJDH-Nova Mente, Gilbran Oliveira, que também é conselheiro da ACDHRio, avaliou como positivo o manifesto nacional. Gilbran ressaltou que, pela primeira vez, as pessoas LGBT de todo o Brasil se uniram para politizar e cobrar benefícios reais da classe política. “É hora de consolidarmos mudanças políticas a nosso favor”, ressaltou Gilbran. O presidente da ACDHRio, jornalista Terry Marcos Dourado, não pôde participar da caravana por estar se recuperando de complicações de saúde causadas por dengue, mas enviou seis representantes de Rio Verde para o evento, em Brasília.
[O presidente da AJDH-Nova Mente, Gilbran Oliveira (D) posa para foto ao lado do jornalista e ex-BBB, Jean Willys, durante a I Marcha Nacional LGBT, em Brasília.] 
Por Asscom/AJDH-Nova Mente

13 de abr de 2010

Bia da CUT garante ônibus para a Marcha Nacional LGBT

Atendendo à reivindicação dos presidentes das organizações não-governamentais de Jataí, Gilbran Assis de Oliveira (AJDH-Nova Mente); e de Rio Verde, Terry Marcos Dourado (ACDHRio), a ex-vereadora jataiense, e atual presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em Goiás, Maria Euzébia de Lima, a “Bia” decidiu apoiar a caravana do Sudoeste Goiano que irá a Brasília, em 19 de maio, participar da I Marcha Nacional LGBT e do I Grito da Cidadania Contra a Homofobia.
Bia confirmou a boa-notícia nesta terça-feira, 13, durante a reunião com o presidente da Aliança LGBT do Estado de Goiás (ALGBT-GO), Léo Mendes, que também é diretor da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT).
Bia garantiu que a CUT-GO vai disponibilizar um ônibus que partirá de Jataí, na madrugada do dia 19, com destino a Brasília, passando por Rio Verde, Goiânia (6h) e Anápolis (7h). A presidente da CUT-GO também se comprometeu eu colocar um carro de som, no dia 17 de maio, no período das 10h às 12 horas, na Praça do Bandeirante, no centro de Goiânia, quando será feito um ato público pelas organizações LGBT goianiense e goiana, chamando a atenção da imprensa e dos cidadãos para o Dia Estadual da Luta Contra Homofobia, cuja lei foi sancionada, em 2009, pelo governador Alcides Rodrigues Filho (PP). [Por Asscom/AJDH-Nova Mente - Foto: Bia, presidente da CUT em Goiás (Arquivo ABD Comunicações)]

7 de mar de 2010

AJDH e ACDHRio estarão na Marcha Nacional LGBT

Representando o Sudoeste Goiano, a Associação Jataiense de Direitos Humanos-Nova Mente (AJDH-Nova Mente), sediada em Jataí; e a Associação por Cidadania e Direitos Humanos LGBT de Rio Verde/GO (ACDHRio) já estão se organizando com o objetivo de participar, juntamente com as demais entidades goianas que integram a Aliança LGBT de Goiás (ALGBT-GO), da I Marcha Nacional LGBT.
O evento será realizado em Brasília (DF), em 19 de maio, com concentração em frente à Catedral Metropolitana. Neste dia, às 9 horas, caravanas LGBT de todos os estados brasileiros vão promover, na Esplanada dos Ministérios, o I Grito da Cidadania contra a Homofobia.
As principais reivindicações do Movimento LGBT Brasileiro, coordenado pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) – instituição brasileira que congrega 250 organizações afiliadas – são a execução do Plano Nacional LGBT; a aprovação do Projeto de Lei Complementer (PLC) número 122, que criminaliza a homofobia; o julgamento das ADPFs pró-LGBT; a garantia de um Estado (País) laico de verdade e o combate ao fundamentalismo religioso. Mais informações, acesse aqui o site da ABGLT.
Caravanas – Os presidentes da AJDH-Nova Mente, Gilbran Oliveira; e da ACDHRio, Terry Marcos Dourado, estão organizando caravanas para levar o maior número possível de pessoas para participar deste inédito evento na Capital Federal. Mais informações sobre caravanas, pelos telefones: (64) 9618-3001 (Gilbran/AJDH-Nova Mente) ou 8116-8769 (Dourado/ACDHRio). 

Preconceitos que justificam a I Marcha Nacional LGBT

Em 17 de maio é comemorado em todo o mundo o Dia Mundial Contra a Homofobia (ódio, agressão e/ou violência contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT). A data é uma vitória do Movimento LGBT que conseguiu retirar a homossexualidade do Código Internacional de Doenças da Organização Mundial de Saúde (OMS).
No Brasil, todos os dias cerca de 20 milhões de brasileiras e brasileiros assumidamente lésbicas, gays, bissexuais, travestis ou transexuais têm violados os seus direitos humanos, civis, econômicos, sociais e políticos em razão do preconceito.
Pessoas que se auto-intitulam “religiosos” fundamentalistas, utilizam-se dos meios de comunicação públicos e também das instituições a exemplo da Câmaras Municipais, Assembleias Lesgislativas, Câmara Federal e do Senado, para pregar o ódio aos cidadãos e cidadãs LGBT e tentar impedir que o artigo 5º da Constituição Federal (este, afirma que “todos são iguais perante a lei”.) seja estendido aos milhões de LGBT do Brasil.
Sem Nenhum respeito ao Estado Laico, tais fundamentalistas religiosos utilizam-se de recursos e espaços públicos (escolas, unidades de saúde, secretarias de governo, praças e avenidas públicas, auditórios dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário) para humilhar, atacar, e pregar todo seu ódio contra cidadãos e cidadãs LGBT.
O resultado destes bestiais ataques cometidos por fundamentalistas religiosos tem sido: o  assassinato de um/a cidadão/ã LGBT a cada dois no Brasil, segundo recentes dados divulgados pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), simplesmente em razão da orientação sexual (bissexual ou homossexual) ou mesmo da identidade de gênero (travesti ou transexual) das vítimas. Uma selvageria e uma barbárie absurdas!
Outro reflexo da ação de fundamentalistas é o fato de o Congresso Nacional não aprovar nenhuma lei que garanta a igualdade de direitos entre cidadãos heterossexuais e homossexuais no Brasil. O Supremo Tribunal Federal (STF) não julga favorável as Ações de Descumprimento de Preceitos Constitucionais (ADPC) que favoreçam a igualdade de direitos humanos no Brasil. Além disso, o Governo Federal não cumpre as determinações do Plano Nacional de Direitos Humanos LGBT.
Há também consequências mais graves quando centenas de adolescentes e jovens LGBT continuam sendo diariamente expulsos de suas casas. Outros milhares de LGBT são demitidos ou perseguidos em seus locais de trabalho por discriminação sexual. Cada vez mais travestis, transexuais, gays e lésbicas abandonam as escolas por falta de uma política de respeito à diversidade sexual nas instituições de ensino em todo o País.
Além de tudo isso, os orçamentos públicos, nas esferas federal, estaduais e municipais, nada ou pouco contemplam de recursos para ações e políticas públicas dos interesses da comunidade LGBT brasileira. O Ministério da Saúde e as Secretarias Estaduais e Municipais se recusam a pactuar e a colocar em pratica a Política Integral da Saúde LGBT.
As Secretarias de Justiça, Segurança Pública, Direitos Humanos e os guardas municipais não possuem uma política permanente de respeito ao público vulnerável LGBT, agredindo esta comunidade, não apurando os crimes de homicídios e latrocínios cometidos contra os cidadãos LGBT, e nem prendendo os seguranças particulares que espancam e expulsam cidadãos LGBT de festas, shoppings, e de vários outros estabelecimentos comerciais.
Exigências – Por tudo isso, a I Marcha Nacional Contra a Homofobia vai exigir das autoridades públicas brasileiras a garantia real e prática do Estado Laico e o combate ao fundamentalismo religioso. Ao governo federal, vai cobrar o cumprimento do Plano Nacional LGBT, especialmente nas ações de educação, saúde, segurança e dos direitos humanos, além de orçamentos e metas definidas para estas ações. O Congresso Nacional será cobrado para que aprove, imediatamente, o Projeto de Lei Complementar (PLC) número 122, que criminaliza e pune a homofobia. E ao poder Judiciário será cobrada a decisão favorável a ADPF da união civil estável entre pessoas do mesmo sexo. (Asscom/AJDH-Nova Mente, com informações de Léo Mendes (da ALGBT-GO e ABGLT)

4 de mar de 2010

AJDH recebe benefícios; sede passa por reformas

Através da parceria que a Associação Jataiense de Direitos Humanos - Nova Mente (AJDH-Nova Mente) mantém desde sua fundação, em 2001, com a prefeitura, as obras de reforma da sede da entidade, solicitadas recentemente pelo presidente Gilbran Oliveira, foram autorizadas pelo prefeito Humberto de Freitas Machado (PMDB). Os serviços foram iniciados no final de fevereiro e vão ser concluídos ainda nesta primeira quinzena de março.
Além do prefeito jataiense, outro grande parceiro da AJDH-Nova Mente é o atual presidente da Metrobus, em Goiânia, o jataiense Francisco "Frantia" Gedda. Ele doou recentemente um microcomputador completo, usado, porém em bom estado de conservação. O equipamento é mais um grande benefício recebido pela AJDH-Nova Mente, uma organização não-governamental sem fins lucrativos e que sobrevive às custas de doações comunitárias e da ajuda dos poderes públicos.
A AJDH-Nova Mente, em nome do presidente Gilbran Oliveira, agradece publicamente ao prefeito Humberto Machado e ao presidente da Metrobus, Francisco Gedda, por mais estes importantes, e tão necessários, apoios.
Foto: O jataiense Francisco Gedda, presidente da Metrobus em Goiânia, doou um microcomputador à AJDH-Nova Mente. (Foto: Francisco Maia/CMG).
Por Asscom/AJDH-Nova Mente

3 de mar de 2010

Definido o tema da IV Parada LGBT de Jataí 2010

Nesta quarta-feira, 3 de março, a Associação Jataiense de Direitos Humanos - Nova Mente (AJDH-Nova Mente) definiu o tema e o lema da IV Parada do Orgulho LGBT do Sudoeste Goiano em Jataí. O evento está agendado para o domingo, 12 de setembro. Este ano, o tema do evento será: "Diversidade, Amor e Paz", com o lema: "Aceitar (a diversidade), é um Gesto de Amor e de Promoção da Paz.".
Mais uma vez, a intenção do presidente da AJDH-Nova Mente, Gilbran Assis de Oliveira, é chamar a atenção popular para a forte homofobia que ainda persiste na sociedade jataiense, gerando casos com violências físicas e verbais. Nos últimos 30 anos, estima-se que mais de 40 homossexuais foram brutalmente assassinados em Jataí e região por causa da homofobia.
"É inaceitável e inadmissível que pessoas inocentes, cidadãos de bem, continuem morrendo, perdendo suas vidas simplesmente pelo fato de não terem a orientação sexual da maioria, ou seja, por não serem héterossexuais. Isso é uma realidade bestial que, diariamente, tem que ser combatida, afinal somos seres humanos com igualdade de direitos e obrigações, e merecemos respeito e a compreensão da sociedade, uma vez que a respeitamos também", comentou Gilbran.
A exemplo das três edições anteriores do evento, a logomarca oficial e todo o material a ser usado em mídias de divulgação da IV Parada do Orgulho LGBT do Sudoeste Goiano em Jataí foi idealizada pelo jornalista Terry Marcos Dourado, dono da Agência Barros Dourado Comunicações e Eventos (ABD Comunicações), que novamente será a responsável pela assessoria de imprensa, também pela produção e realização do Show da Parada 2010.
Por Asscom/AJDH-Nova Mente

21 de fev de 2010

AJDH distribui Manual de Comunicação LGBT

Lançado durante a V Conferência Regional da Ilga-Lac, em Curitiba (PR), o Manual de Comunicação LGBT foi distribuído em Jataí, pela Associação Jataiense de Direitos Humanos - Nova Mente (AJDH-Nova Mente), no início de fevereiro, pelo presidente Gilbran Oliveira. 
Exemplares do Manual de Comunicação LGBT foram entregues para todas as empresas de comunicação da cidade, também para a prefeitura e Câmara de Vereadores, Secretaria Municipal da Educação, Subsecretaria Regional de Educação, dentre outras instituições. Com o apoio da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o Manual de Comunicação LGBT apresenta informações para os profissionais de mídia sobre o público formado por lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e transgêneros. A obra foi realizada pela Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) e contou com a colaboração de jornalistas, pesquisadores e de outras instituições.
Por Asscom/AJDH-Nova Mente

20 de fev de 2010

AJDH participa de conferência internacional em Curitiba

A Associação Jataiense de Direitos Humanos - Nova Mente (AJDH Nova Mente), com sede em Jataí, Goiás, Brasil, organização não-governamental pró-cidadania e direitos humanos LGBT, através do presidente Gilbran Assis de Oliveira, participou da V Conferência Regional da ILGA-LAC realizado em Curitiba (PR), no período de 26 a 30 de janeiro último.
O presidente Gilbran Oliveira também participou da eleição da nova diretoria da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (ABGLT), entidade o qual a AJDH-Nova Mente é filiada. A eleição aconteceu em 26 de janeiro.
A Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, pessoas Trans e Intersex (Ilga) é uma federação mundial que congrega grupos locais e nacionais dedicados à promoção e defesa da igualdade de direitos para lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros em todo o mundo.
Fundada em 1978, a ILGA reúne entre seus membros mais de 670 organizações, entre pequenas coletividades e grupos nacionais, representando, assim, mais de 110 países, oriundos de todos os continentes.
Atualmente, a ILGA é a única federação internacional a reunir ONGs e entidades sem fins lucrativos que concentra a sua atuação, em nível global, na luta pelo fim da discriminação por orientação sexual e identidade de gênero.
Entre os dias 26 e 30 de janeiro, a V Conferência Regional da Ilga-Lac (ramificação da Ilga que abrange os países da América Latina e Caribe), realizada em Curitiba (PR), esteve atenta à necessidade de dialogar cada vez mais no e com o mundo moderno. Com encontros específicos de cada letra da sigla colorida e outros sobre Saúde, Mídia, Poder Executivo, Direitos e Política, a Conferência foi um momento importante no sentido de reunir as experiências boas e ruins de 400 participantes latino-americanos e caribenhos em busca de respeito e dignidade.
Antes mesmo da abertura oficial, feita na última quarta-feira, 27, pelo ministro dos Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, a militância já discutia algumas propostas nas pré-conferências temáticas, inclusive algumas pela primeira vez, como foi o caso da “Pré-conferência Mídia e LGBT”, onde aconteceu o lançamento do Manual de Comunicação LGBT.
Um dos problemas mais graves ainda enfrentados pelos LGBT, a trans-lesbo-homofobia ganhou destaque e diferentes ângulos de discussão – este ódio nas escolas, em seminário encabeçado pela Aliança Para Educação de Gays e Lésbicas (GALE); e na sociedade em geral, com o grupo de trabalho “Crimes de ódio, discriminação e violência”, formado pelo decano do movimento Luiz Mott, a militante trans venezuelana Tamara Adrian e o mexicano Antonio Medina.
O Governo Federal marcou presença no encontro com a apresentação de resultados de seus planos desenvolvidos para a população LGBT. O principal foco continua sendo a área da Saúde, com a luta contra a epidemia de HIV/Aids, principalmente entre os homens que fazem sexo com homens (HSH) e as travestis. Mas o foco vai ser ampliado e pretende atingir também um grupo que vem cada vez mais sendo infectado, o das mulheres. Isso porque o Governo percebeu por meio de pesquisas apresentadas pela militante transexual feminista Barbara Graner que o vírus HIV está cada vez mais presente entre as mulheres.
O próximo encontro regional da Ilga-Lac será realizado, em 2011, no Panamá. E já está circulando o chamado para o encontro mundial da ILGA, que será realizado em dezembro deste ano, no Rio de Janeiro. A AJDH-Nova Mente já está se preparando para participar de mais este importante encontro internacional. (Asscom/AJDH-Nova Mente - Jornalista Responsável: Terry Marcos Dourado - Fotos: Arquivo/AJDH-Nova Mente.)

Em agosto...

Em agosto...
IV Parada do Orgulho LGBT do Sudoeste Goiano em Jataí